Justiça manda corregedoria da Guarda Municipal de Jundiaí investigar denúncia de tortura

Homem detido por suspeita de roubo alegou durante audiência de custódia que foi torturado por dois guardas para que confessasse o crime.

A Justiça pediu que a Corregedoria da Guarda Municipal investigue uma denúncia de tortura contra um homem preso suspeito de roubo em Jundiaí (SP). A decisão do juiz Filipe Antonio Marchi Levada ocorreu na segunda-feira (1°).

O homem foi preso por suspeita de indicar o estabelecimento da ex-mulher para que o local fosse roubado. O rapaz teria confessado a participação do roubo depois de ser detido por três guardas municipais.

Durante a audiência de custódia, o suspeito afirmou ao juiz que foi torturado com choques e golpes para realizar a confissão.

Com o depoimento, a Justiça determinou que a prisão em flagrante teria que ser “relaxada” e que o homem fosse solto. Ainda conforme a decisão, a corregedoria da Guarda Municipal deverá apurar se houve excesso por parte dos agentes.

A Prefeitura de Jundiaí informou, em nota, que a corregedoria da Guarda Municipal solicitou e aguarda a chegada das cópias dos autos para abrir processo administrativo e apurar as responsabilidades dos guardas envolvidos.

A prefeitura também afirma que não compactua com qualquer ilegalidade praticada ou atribuída a integrantes da instituição e todas as denúncias serão apuradas e punidas de acordo com o regimento”.

Compartilhe essa notícia

Quem foi: Madre Teresa de Calcutá?

Madre Teresa foi a fundadora da Ordem das Missionárias da Caridade, uma congregação católica romana de mulheres dedicadas a ajudar os pobres. Considerada uma das maiores humanitárias do século XX, foi canonizada como Santa Teresa de Calcutá em 2016. Quem

Leia mais »

Inscreva-se em nossa news

Em nossa região

Preencha as informações

Oferecemos uma forma auxiliar para ajudar em buscas de pessoas desaparecidas. Pedimos que entre em contato com as centrais de policia mais próxima.

Preencha as informações

Só envie os dados se já tiver procurado as autoridades